A Dieta alimentar e a Saúde Oral

Qual a relação entre nutrição alimentar e a saúde bucal? Toda ! Afinal, que nunca ouvir falar que “a saúde começa pela boca”? É um chavão que, sem dúvida alguma, merece a atenção de todos. Afinal, aquilo que se põe na boca pode elevar a acidez da saliva, meio tão importante para a proliferação de bactérias que afetam a preservação da dentição.

nutri02

Anúncios

Os cuidados com a saúde oral das futuras mamães

Muitos mitos e tabus estão presentes no momento da gestação. Fazendo um ligeiro apanhado das principais dúvidas das futuras mamães é necessário esclarecer que:

* A mulher perde cálcio durante a gestação. MITO! O cálcio necessário para a formação dos dentes do bebê provém da alimentação da gestante, os seus dentes não participam do processo de captação e nem sofrem qualquer dano.

* A gestação traz consigo cárie e perda de dentes. MITO! A cárie e consequente perda de dentes é provocada pela alimentação desregulada, rica em carboidratos e falta de higiene bucal. Sendo assim, mulheres gestantes ou não gestantes podem ser acometidas de cárie caso não haja uma correta escovação, com uso de fio dental e creme dental com flúor, e visitas regulares ao dentista.

Gestantes devem evitar fazer exames de raios x

* A gestante não pode fazer raio-X. VERDADE! Os exames radiográficos devem ser feitos com uso de avental de proteção em qualquer paciente, porém deve ser evitado no primeiro trimestre de gestação, e apenas em situações de extrema necessidade.

* É proibido o uso de anestésico em gestantes. MITO! O uso de anestesia nas gestantes é permitido, desde que a substância anestésica usada não contenha vasoconstritores, e por isso o cirurgião-dentista deve ser informado para que possa tomar esse cuidado.

Smiling-Pregnant-Woman
Pré-natal odontológico é recomendado para acompanhar a saúde oral das gestantes

* A periodontite (processo inflamatório de todos os tecidos localizados ao redor dos dentes e que também são responsáveis pela sua fiação) pode causar parto prematuro. VERDADE! Os microorganismos presentes na placa bacteriana percorrem a corrente sanguínea e estimulam a produção da prostaglandina, que é substância hormonal, provocando contrações do útero e acelerando o trabalho de parto.

É sempre bom lembrar a importância do pré-natal odontológico com vistas à promoção da saúde bucal da gestante e à prevenção da saúde geral do bebê. A boca, em hipótese alguma, deve ser tratada desassociada da saúde geral. É importante que hábitos saudáveis de higiene bucal e uma boa alimentação sejam adotados desde a gravidez pois o nível de saúde bucal da mãe tem relação com a saúde bucal da criança.

Para as mulheres em idade fértil e que desejam engravidar é primordial que façam um check-up odontológico. Além disso, estudos científicos mostram que crianças cujas mães apresentam alta concentração de Streptococcus mutans ( a bactéria causadora da cárie) na saliva adquirem essa bactéria mais cedo e em maior número, aumentando o risco de cáries nos dentes de leite. Prevenir é melhor que remediar!

Fonte

Quais alimentos auxiliam na formação dos dentes dos bebês?

Geralmente, os primeiros dentes dos bebês começam a nascer a partir dos seis meses de idade. Nesta época, já é possível substituir a alimentação líquida por uma mais pastosa e, mais para frente, oferecer à criança alimentos mais consistentes que incentivam a mastigação e o desenvolvimento da dentição infantil.

“Papinhas, frutas amassadas e sopas são alguns dos alimentos que podem começar a fazer parte da dieta da criança assim que os dentinhos apontam”, diz o odontopediatra Gustavo Costa.

Para o especialista, mastigar é preciso e, por isso, todo alimento que promove esse ato de maneira adequada é fundamental para o desenvolvimento do complexo orofacial da criança. “Os alimentos são estímulos importantes para que haja o crescimento correto dos ossos, como a maxila e a mandíbula, além do amadurecimento dos músculos mastigadores e o desenvolvimento e posicionamento correto dos dentes”, diz Gustavo.

A partir de um ano, a criança já está praticamente com a mastigação desenvolvida e, portanto, alimentos mais consistentes podem ser introduzidos em sua dieta. Pedaços de frutas mais duras, legumes e até pedacinhos de carne podem ser oferecidos ao bebê. Aos três anos de idade, a criança já pode estar comendo de tudo.untitled

“A partir dessa fase (um ano de idade), costumo pedir aos pais que não privem seus filhos de mastigarem alimentos mais duros ou fibrosos, como maçãs e cenouras, pois eles precisam fazer esse exercício para desenvolverem dentes fortes e saudáveis”, diz a nutricionista, Rosangela Lofredo.

Por isso, é importante que a criança tenha uma dieta balanceada e bastante variada para que além da mastigação, também sejam bem desenvolvidas as funções da fala, respiração e deglutição.

Alimentos amigos
vegetaisOferecer às crianças alimentos ricos em cálcio e vitamina D também vai ajudar nessa missão. “Salmão, gema de ovo, vegetais verdes escuros, leite e seus derivados são grandes contribuintes para o fortalecimento das estruturas ósseas do corpo e claro, dos dentes”, diz a especialista.

Alimentos inimigos

candies-7Tão importante quanto saber quais alimentos podem ajudar no desenvolvimento da dentição infantil é saber quais podem prejudicar esse processo. “Os alimentos ricos em açúcares têm um alto potencial para provocar cáries, como refrigerantes, sucos industrializados, bolachas (especialmente as recheadas), balas, chicletes, chocolates entre outras”, diz Gustavo.

E os doces mais “grudentos” são os piores. “A presença constante do açúcar na boca faz com que o pH fique ideal para que as bactérias causadoras da cárie possam atuar e começar o processo de desmineralização dos dentes”, diz o especialista.

Higienização desde cedo
Baby-Smile-7Para evitar a cárie e outros problemas bucais nas crianças é fundamental que os pais comecem a higienizar a boca de seus filhos bem cedo. “Se possível, ainda bebê, após a amamentação”, diz Gustavo.

Isso pode ser feito com uma gaze ou a pontinha de uma fralda de tecido embebida em água filtrada. A partir do aparecimento do primeiro dentinho, a escova já pode entrar em cena. “Fazer da escovação um momento divertido e prazeroso é fundamental para que a criança aceite e aprenda este novo hábito em seu dia-a-dia. Na medida em que mais dentes vão aparecendo, o fio dental também deve ser usado para que a limpeza fique completa”, diz Gustavo.

Fonte